Tamanho do texto:
Atualizado em: Domingo, Março 26 2017
Questões de desenvolvimento

declaração do Secretário-Geral Adjunto no Dia Internacional da observância Felicidade [conforme preparado para apresentação]

As Nações Unidas sempre existiu para promover e garantir o bem-estar e felicidade de todos os povos. Este compromisso se tornou ainda mais consagrado no 2011, quando a Assembléia Geral aprovou a resolução "Felicidade: rumo a uma abordagem holística para o desenvolvimento".

A resolução reconheceu que o produto interno bruto não foi projetado para e não reflecte adequadamente o bem-estar e felicidade das pessoas em um determinado país. Em suma, é reconhecida a necessidade de reconhecer indicadores de bem-estar e fontes de felicidade que vão além de indicadores econômicos.
 
Precisamos de abordagens mais inclusivas, justas e equilibradas para o desenvolvimento que promovam a sustentabilidade, a erradicação da pobreza, a felicidade eo bem-estar de todos os povos.
 
Na busca de uma tal abordagem, muitos países têm realizado esforços para desenvolver medidas mais amplas de progresso, muitas vezes através de consultas públicas, comissões parlamentares e os esforços para desenvolver novos indicadores e compreensão do bem-estar.
 
Eu reconheço e aplaudir esses esforços e incentivar outros governos, em consulta com as partes interessadas, para prosseguir esforços semelhantes.
 
Pela minha parte, gostaria de sublinhar alguns pontos a partir de uma perspectiva global:
 
Lembremo-nos de que os governos têm o dever de assegurar as condições mínimas para a felicidade de todos os povos, como o acesso à nutrição e serviços básicos, direitos humanos básicos e protecção social, especialmente para aqueles deixados para trás mais distante.
Quando os governos perseguir apenas o crescimento económico e esquecer-se sobre as dimensões sociais e ambientais, que afeta negativamente o bem-estar e pode resultar em aumento das desigualdades e degradação ambiental.
Vamos manter em mente que o objetivo do desenvolvimento é aumentar o bem-estar, mas não a qualquer custo, e não ao custo de meio ambiente ou a marginalização dos grupos vulneráveis ​​pobres e outros.
Como a ciência no bem-estar está crescendo e novos indicadores estão sendo adotadas, devemos construir sobre as lições aprendidas, compartilhar essas boas práticas e cooperar a nível regional e internacional.
Devemos também pensar em construir alianças com o setor privado. Não vamos esquecer que a felicidade é bom para os negócios e os trabalhadores felizes são mais produtivos.
Well-being does not depend on income alone. People are happier when they have personal and job security; when they enjoy freedom of expression; when the environment is clean; when they have strong family relations, based on intergenerational solidarity; when they have a network of trusted friends.
 
These human needs can be fulfilled in societies where people are empowered to pursue their own goals that ensure their personal well-being - in societies that are inclusive and egalitarian, and where human rights are cherished and respected.
 
Together, we have built a blue print on how to come close to building such societies – The 2030 Agenda for Sustainable Development and the Sustainable Development Goals (SDGs) – a plan of action for the people, planet and prosperity.
 
The 2030 Agenda recognizes that ending poverty must go hand-in-hand with strategies that build economic growth and addresses a range of social needs including education, health, social protection, and job opportunities, while tackling climate change and environmental protection.
 
Let’s renew our commitment to continue building more just and equal societies to increase people’s happiness and well-being worldwide.
 

Se conectar com US

Assine a nossa newsletter